Dentro dos programas de qualidade de vida no trabalho, é cada vez mais comum vermos empresas oferecendo sessões de massagens a seus colaboradores durante o expediente. A modalidade mais presente nas empresas é a quick massage, já que pode ser realizada numa cadeira específica que além de não ocupar muito espaço, é portátil e pode ser facilmente transportada.

 

Nos casos onde a empresa dispõe de uma sala exclusiva para que os colaboradores sejam atendidos, o uso de uma marquesa até se torna possível (podendo-se massajar e alongar também as pernas do colaborador).

Mas quanto tempo o colaborador precisará se ausentar para isto?

O tempo médio de uma quick massage é de 15 minutos, tempo suficiente para que o terapeuta consiga trabalhar as regiões mais necessitadas e exigidas no trabalho, são elas: cervical, ombros, costas, região lombar, braços e mãos, bem como o alongamento de pescoço e braços.

 

O resultado deste atendimento pode ser percebido imediatamente com o alívio de dores e maior disposição para o trabalho. Embora a sensação de sonolência observada após a massagem seja comum (devido ao relaxamento), o sono não se instala de fato, pelo contrário, ao chegarem em seus postos de trabalho, todos estão mais animados e com alto nível de concentração.

Além dos benefícios tangíveis que esta ação pode trazer para a empresa como o aumento de produtividade, diminuição de afastamentos e de faltas, existe também os benefícios intangíveis como a valorização da empresa junto aos colaboradores e mercado, atração e retenção de talentos, entre outros.